onkeydown='return validateKey(event)'> onkeydown='return validateKey(event)'> expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 12 de março de 2010

I n s t i n t o

Sou uma mulher do século XIX
disfarçada em século XX

Ana C.



Instinto

Auto-devora-se

Adeus iminente

Paulatino findar-se

Absinto

Inclemente


Juscelino V. Mendes


Homenagem a Ana Cristina Cesar, poeta, uma das pessoas mais belas e doces que conheci na vida. Suicidou-se em 29 de outubro de 1983. Assista ao vídeo "Entelinhas" - parte 1, clicando no título de meu poema. A foto da esquerda pertence ao "Acervo Ana Cristina Cesar / Instituto Moreira Salles": 

4 comentários:

GRAÇA GRAÚNA disse...

No dia em que ela (AnaC) se foi, o dia mudou de cor e poucos perceberam; na verdade, só os poetas, os loucos ainda sentem um nó na garganta. Parabens pela homenagem, meu querido poeta pataxó. Paz em ñanderu, Graça Graúna

Jairo Cerqueira disse...

Você possui a arte de sintetizar dizeres que nos proporcionam uma imensidão de ações reflexivas.
Um abraço, amigo.

Gookz disse...

bravo!!!
não se precisa de muito pra dizer muito...
e vc com pouco consegue dizer uma grande parte...

Juscelino Mendes disse...

Graça,
foi muito triste o dia que soube da morte de Ana C. Um beijo, querida mana!

Jairo,
imenso prazer em ler a sua mensagem! Busco esse poder de síntese, e, quando consigo, fico feliz. Obrigado por me confirmar isto. Afetuoso abraço!

Gookz,
Obrigado, querida. Apareça sempre para enriquecer meu Blog. Beijos!