onkeydown='return validateKey(event)'> onkeydown='return validateKey(event)'> expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

O futebol e o ludibrio

Umas das coisas mais interessantes da vida, como divertimento, para muitas pessoas, é o futebol. Quero destacar um ponto, que julgo fundamental, nesse negócio altamente rendoso e sensacional, que é o ludibrio natural e inerente a essa prática esportiva. O que mais chama a atenção, especialmente do torcedor, é o jogador que melhor sabe enganar o seu adversário com o drible, com a ginga, com a malícia. Aquele que se julga atleta, sem esses atributos, é nada mais que um jogador comum, sem brilho, sem destaque, que compõe, quando muito, uma equipe e serve apenas como um complemento, ou, conforme alguns jornalistas esportivos mais tecnicistas, 'mera peça de reposição'. Esta é a razão por que não se admite como natural e louvável, o detestável e tão propagado futebol de resultados, como alguns "dunguistas" gostam de alardear. Na verdade, isso serve apenas para garantir empregos que promovam ganhos estratosféricos, notadamente para alguns treinadores brasileiros, que são muito mais "palestrantes motivacionais", do que propriamente técnicos-professores estrategistas, conhecedores do futebol e de suas regras mais importantes. O futebol é lúdico, mexe com as emoções dos mais sensatos, a ponto de alguns não conseguirem dormir bem, após um resultado negativo do seu time do coração. Aceitar, portanto, que não se brinque, que não se pratique o ludibrio dessa forma natural, é eliminar a característica principal dessa prática esportiva, que serve muito mais como terapia do que propriamente como um divertimento, sem implicações mais diretas no indivíduo-torcedor, que perde, segundo o filósofo existencialista, Albert Camus, toda a inocência, ao ingressar em um estádio. Futebol, sobretudo, é paixão. E paixão, em sua desinência, é sofrimento. No futebol esse sofrimento acontece antes, durante, e, muitas vezes, depois também. E ser corinthiano é viver essas coisas todas ao mesmo tempo, e em grau máximo. Por falar nisto, 'Salve o  Corinthians' e sua  centenária 'República Popular'!...


Juscelino V. Mendes


Imagens do Corinthians, "O Timão", com sua respectiva torcida! E viva o Sport Club Corinthians Paulista, em seus 100 anos de historia de glórias, neste começo de setembro.





4 comentários:

Sergio Muroni disse...

Grande Mestre;
Mais uma vez o Sr. está de parabéns, desta vez, por esse brilhante blog, repleto de inteligentíssimos textos.
um forte abraço,
do seu eterno aluno,
Sérgio Muroni.

Graça Graúna disse...

Meu amigo: não entendo nada de futebol, mas fica claro como seu pensamento que esse esporte so tem servido, infelizmente, para engordar os cofres dos colarinhos brancos. Paz e bem,
Graça Graúna

Jairo Cerqueira disse...

Meu amigo Juscelino, você foi perfeito (mais uma vez).
Quero lhe parabenizar pela lucidez textual e paradoxalmente pela sua/nossa loucura futebolística.
Que bom ver "Os imbatíveis" em destaque em seu blog.
Saudações rubro negras.
Um abraço.

Marisa Queiroz disse...

Não sou muito fã de futebol, mas adoro ver esse sentimento (misto de alegria e dor) do torcedor pelo seu time. Acho-o bem saudável, afinal é uma forma de elaborar as emoções através de uma brincadeira no campo. Parabéns pelo texto e pelo timão, que está fazendo 100 anos. Bjs