onkeydown='return validateKey(event)'> onkeydown='return validateKey(event)'> expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Crianças filipinas colhem flores



Flores fabricam flores (1);
Americanos e ingleses, inseticidas.
Abastados ruminantes homicidas
De párias floridos incolores.

Promíscuo interesse capitalista;

Desdém com afagos de plástico;
Sorrisos de opulência ametista,
Onipresentes no FMI
(2) sarcástico.

Aspiram flores de dores; supinos

Viandantes da Nova Era;
Lufadas de besta-fera
Matam rebentos filipinos.

 
Tartufos (3) da aparência

Em mesuras inúteis;
Apogeu e decadência:
Túnica de pétalas inconsúteis.




Juscelino V. Mendes

(1) Título de reportagem televisiva (que intitulo tambem este poeta), dando conta de que crianças filipinas são mortas anualmente, ou ficam deficientes, por ingestão de inseticidas importadas de americanos e ingleses, para aplicação no plantio e na preservação de flores que serão posteriormente exportadas para esses dois países.
(2) Fundo Monetário Internacional
(3) Referência à peça o Tartufo, de Moliére.
(Imagem: http://www.pbase.com/pauljames/image/19142951)

2 comentários:

Claudia Almeida disse...

Os desumanos estão no poemas, vivem suas vidas sob o comando do Caos.

Bjs

Juscelino Mendes disse...

Nos poemas, nas músicas, nos romances, nos bons comentários...