onkeydown='return validateKey(event)'> onkeydown='return validateKey(event)'> expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 29 de março de 2014

Chamar a atenção

O desconhecido juiz de direito ficou famoso. Os torcedores identificados, que invadiram o CT do Corinthians, mais animados para a invasão, agressão, e, quem sabe o assassinato, pelas ruas da capital paulista. Os torcedores normais que gostam de futebol, mais intimidados, mais desanimados, mais temerosos.

O juiz Gilberto de Azevedo de Moraes Costa, 33 anos de idade, da 17ª vara criminal de São Paulo, disse no final de sua sentença, ao mandar soltar os torcedores vândalos: 


Penso que o jovem juiz, sem nenhuma experiência das coisas da vida, aproveita-se de sua 'juizite', para o seu momento de glória, ao usurpar do poder, que lhe confere o Estado, vício fundamental descrito como pleonexia por Aristóteles ("Ações injustas são motivadas pela pleonexia"), e divertir-se às nossas custas, pago com nossos impostos, "jogando para a torcida organizada", agindo muito mais como um árbitro do que magistrado.

Talvez esse magistrado tenha dado ao povo uma boa ideia, qual seja, a de demonstrar a sua revolta como cidadão e apenas "chamar a atenção" do judiciário brasileiro: fazer com que os juízes honrem os salários que ganham fazendo, de fato, justiça.


Juscelino V. Mendes

Nenhum comentário: