onkeydown='return validateKey(event)'> onkeydown='return validateKey(event)'> expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Metamorfose

Sobre o meu poema pascal:


A partir da Metamorfose de Kafka, o poema tenta revelar a situação do ser humano, demasiadamente humano, ainda que no caminho inverso ao delineado por Nietzsche. Seríamos todos Gregor Samsa? Nabokov, magistralmente, descreveu-nos a propósito de "Metamorfose". A Bíblia, de forma completa e perfeita.

METAMORFOSE

Esgar de ordem definitiva.
Queda para a escuridão de
lago sem lua e sem estrelas.
Água infamante salobra,
de amargor eterno.
Para o caminhar no brilho de estrela fugaz da manhã¹,
que caíra com a chave em suas mãos
manchadas de sangue
no poço do abismo.
Absinto.

(...)

terça-feira, 8 de abril de 2014

Cena urbana

Cena urbana
- cair da tarde
paralela à movimentada avenida,
a persistência na vivência antiga e
calma de tempos idos;
em meio à fumaça branca,
monóxido de carbono
e barulho de automóveis potentes -

Indiferença. 

Mas:

Um galo quis bicar meu celular,
enquanto o outro
brindou-me,
e encantou-me,
com seu belo canto!



















Juscelino V. Mendes

Triste educação brasileira

A mídia noticiou de um professor, que em lugar de ensinar quer chamar a atenção.

Qualificar o tal professor do ensino médio em Brasília de "professor de filosofia", é um acinte à Filosofia; aceitar a sua maluquice e comparar isto à ironia de Sócrates, como fez um professor da Universidade de Brasília, é um desrespeito a Sócrates, à Filosofia e ao conhecimento científico.

O Brasil tem cada coisa!

("É sério isso?" - pergunta a aluna no papel chamado de "prova"). 


Tristes trópicos. 
Triste educação brasileira.


Juscelino V. Mendes