onkeydown='return validateKey(event)'> onkeydown='return validateKey(event)'> expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

A Petrobrás e a Polícia Federal

A Polícia Federal é do Estado e não de governos


Gostaria de esclarecer algo importante aqui a respeito da Polícia Federal, que a presidente Dilma Rousseff, seguindo seu mestre mor, Lula, gosta de dizer, passando a ideia de que as investigações realizadas pela PF seja uma demonstração de isenção de seu governo na busca dos corruptos estejam aonde estiverem. Na verdade a PF é polícia do Estado que, por determinação Constitucional (Artigo 144 da CF/88), é permanente, independe de governos, embora seu departamento pertença ao Poder Executivo e subordinado ao Ministério da Justiça (Decreto 6.061/2007), o que não significa dizer que suas investigações possam ser controladas pelo Executivo, a seu talante. O Estado brasileiro, através do Legislativo, faz as leis, mas nem por isso está acima delas, como exemplo. Só pode o que a lei disser que pode. Então a senhora presidente está, no mínimo, equivocada, quando diz:


“E quero dizer mais: o governo tem tido em relação a essa questão (investigação da Petrobras) uma posição extremamente clara. Aliás, foram órgãos do governo que levaram a essa investigação. Foi a Polícia Federal, não caiu do céu. O governo está investigando essa questão” (pela TV e mídia em geral hoje).





Não foram, senhora presidente, órgãos do governo, mas órgãos do Estado, que estão investigando essa podridão na Petrobrás, empresa que já foi considerada e respeitada internacionalmente e agora descoberta com um ninho de ratos de variadas cores políticas da pior espécie, a nos roubar às escâncaras.


Juscelino V. Mendes

Um comentário:

João Francisco Mantovanelli disse...

Amigo Juscelino, de fato eu gostaria de ver a PETROBRAS falida, desacreditada cada vez mais, se há corrupção atualmente imagine quando houver realmente a extração do pré-sal. Vou além ao invés do Governo Federal investir em uma fonte de energia suja, altamente poluidora devido a metais pesados que lesam a fauna, flora, solo, ar e água, porque não investir no ETANOL, sendo uma energia limpa, renovável que inclusive com o bagaço da cana serve de forte de energia elétrica, o que desenvolve empregos, e consiste em práticas econômicas voltados ao AGRONEGÓCIO, inclusive escrevi um artigo ao "Jornal O Liberal" da comarca de Americana-sp que leva ao título de "O DOCE ETANOL" existe o princípio ambiental que se denomina UBIQUIDADE, que o petróleo em sua extração e utilização fere este princípio por ser poluidor.

É isso,

Um Abraço Amigo.

João Francisco Mantovanelli