onkeydown='return validateKey(event)'> onkeydown='return validateKey(event)'> expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 3 de dezembro de 2016

As chuvas dão um ar de tristeza

As chuvas dão um ar de tristeza;
De dureza espraiada
pelo ar,
Mas, como diz a Palavra:


"...O choro pode durar uma noite,
mas a alegria vem pela manhã.
(Sal. 30:5)."


Amanhã virá o sol.
Com ele, o sorriso, o calor, a labuta.
E, no tempo certo,
A chuva singular de cada um de nós.


Juscelino V. Mendes

#ForçaChape
Fonte: https://pixabay.com/en/rain-children-sad-bored-view-20242/






terça-feira, 8 de novembro de 2016

O Voo Von Buettner

(A Von Buettner, in memorriam)

Um brinde ao seu voo, Arno.
O voo imaginário diminui
As fronteiras que nos separam de pessoas,
de tempos, de momentos idos, de culturas.
O voo, Bebeto, nos abre possibilidades!
Que o seu voo, Von Buettner,
Seja o infinito fulgurante de Fernão Capelo Gaivota...

E voaremos com você nas asas da saudade.



Juscelino V. Mendes





sábado, 9 de julho de 2016

Beleza abafada

(p/ Amy Winehouse)

Rastros de alegria,
Cheiro de tristeza,
Beleza abafada
Na sonoridade das luzes
Encantadas!

Um belo ser,
Em busca do eu
E do prazer de tantos,
Encantos:
Prantos, risos,
Cores, brilhos,
Nascidos na dor.



Juscelino V. Mendes




quarta-feira, 29 de junho de 2016

Poder sobrenatural

Feito Baudelaire perguntei ao vento: por que foges? Deu-me um sorriso frio, gelado e desapareceu na noite, com o seu poder sobrenatural.



Juscelino V. Mendes

sexta-feira, 17 de junho de 2016

quase

soçobra em mim um quase
soluçar, um quase
voo nas plenitudes siderais
respirando liberais
ares, 
a mares, 
liberdade...


Juscelino V. Mendes






sábado, 14 de maio de 2016

Elogio da loucura de Roterdam e senadores petistas


Quando a arrogância supera o bom senso, ouvem-se senadores e senadoras governistas perguntarem, em suas falas pela não admissibilidade do impeachment, o que será do Brasil sem "a presidenta" Dilma, sem o PT no executivo federal, como se o Brasil acabasse com a sua saída!


Na obra do filósofo Erasmo de Roterdam (1466-1536), "Elogio da Loucura", lemos esta passagem, talvez 'copiada' de algum intelectual do PT, mesmo tendo sido escrito no século XVI:

Julgue-me, agora, quem quiser, e confronte o bom serviço que prestei aos homens com a metafomorfose dos deuses. Não preciso recordar, aqui, os horríveis efeitos do seu ódio; falarei apenas dos seus benefícios. Que graças concedem eles aos que estão para morrer? Transformam um em árvore; outro em pássaro, este em cigarra, aquele em serpente, etc, que são, na verdade, grandes esforços de beneficência! Chega a parecer que a passagem de um ser para o outro é o mesmo que morrer. Quanto a mim, é o homem em pessoa que reconduzo à idade mais bela e mais feliz. Se os mortais se abstivessem totalmente da sabedoria e só quisessem viver submetidos às minhas leis, é certo que não conheceriam a velhice e gozariam, felizes, de uma perpétua juventude.",  p. 30

É isto que me parece evidente nos discursos dos petistas no Senado da República, tendo um deles dito que a Petrobras hoje vale muito mais do que valia no governo FHC. Acho que vivemos no "paraíso pedido" de John Milton, e não sabemos.


Juscelino V. Mendes



terça-feira, 26 de abril de 2016

Candidato a ídolo


O Brasil é pobre demais na busca de ídolos. Primeiro foi o maquiavélico Joaquim Barbosa, e, por último, o eficaz Moro.

Não precisamos de pessoas, mas, como ensina Popper, "de instituições democráticas fortes, que evitem a ascensão de tiranos", embora, segundo ele mesmo, "não haja método infalível a evitar que um tirano suba ao poder e destrua a democracia".

O PT e seus Dirceus, Lulas, Dilmas etc. da política brasileira estão aí para dar razão a Popper.

Qualquer desses ídolos de momento que subir ao poder, mostrará as suas garras antidemocráticas.

Quem será o próximo candidato a ídolo?



(POPPER, Karl. A sociedade aberta e seus inimigos. Belo Horizonte: Itatiaia, 1998, volumes 1 e 2)


Juscelino V. Mendes 

sexta-feira, 18 de março de 2016

Pensamento de Montesquieu aos petistas e afins


Tenho profundo respeito pela escolha política das pessoas, porque sou um democrata, mas lembro aqui as palavras de Montesquieu aos meus colegas, amigos, parentes, irmãos de fé que seguem o PT, a despeito de tudo que os seus líderes etc. têm feito de mal para este país, cobrando caro o que, em algum momento, fizeram de bom:


"Se eu soubesse algo que fosse útil a mim, mas prejudicial à minha família, eu o rejeitaria de meu espírito. Se soubesse de algo útil à minha família, mas não à minha pátria, procuraria esquecê-lo. Se soubesse de algo útil à minha pátria, mas prejudicial à Europa, ou então útil à Europa, mas prejudicial ao Gênero humano, consideraria isto um crime...".
(Montesquieu; "Mes pensées", vol. 1, p. 981).

Que nos sirva de alguma coisa construtiva!



Juscelino V. Mendes 

terça-feira, 15 de março de 2016

Direito Achado Na Rua / Manifestações de Domingo


O novo ministro da justiça, Eugênio Aragão, petista que pertence à turma do direito extravagante, que significa um direito acima da Constituição Federal brasileira (o que vale é a voz das ruas), deveria ser coerente naquilo que crê. Essa voz das ruas, para essa corrente do direito social, é a chamada "Constituição Viva".


O problema é que isto, além de um absurdo desvio constitucional, só vale para tentar legitimar o PT no poder, porque se valesse para todos, mais que voz, os gritos das ruas no último domingo, estão ecoando até agora, mas Dilma, o PT, e o PMDB estão lá, como se fossem os donos do Brasil.

Esse ministro, e mais a provável indicação do "Lula lá", feito também ministro, servirão apenas para tentar barrar a "Lava-Jato" e, desesperadamente, se segurarem no poder, como inquilinos indesejáveis.

O denominado "Direito Achado Na Rua", baseado em Antônio Gramsci (1891-1937), e usado apenas no que interessa à extrema esquerda brasileira tupiniquim, deveria ser posta em prática esta semana em favor do Brasil, ou seja, ouvir as vozes agoniadas das ruas, pelo desemprego generalizado, a saúde em frangalhos (especialmente para os mais pobres, que mentirosamente insistem defender), a violência, a falta de educação (nos dois sentidos) e por aí vai...


Juscelino V. Mendes 

domingo, 6 de março de 2016

Os barbudos Sócrates e Lula e seus venenos inconciliáveis


O PT, no passado, defenestrava alguns aliados do PSDB, e, com eles, não fazia acordo, com críticas pesadas contra FHC. Entendeu, logo depois, todavia, que precisava deles, especialmente do famigerado PMDB, para chegar à presidência, com o Lula-populista-treteiro. Com a colaboração deles, inventou o "mensalão" e o "petrolão". Agora, com os ratos aliados de outrora, tentam fugir da água suja que chega ao teto tupiniquim, deixando muitos de seus seguidores cegos, sozinhos 'pululando' pelas ruas, pensando que o Brasil é a Venezuela, com toscas palavras de ordem a violentar a nossa frágil democracia.

Lula, no seu populismo desenfreado, disse ontem não gostar de vinho, por ser, segundo suas insinuações, bebida de rico e da elite. Diz gostar de outra coisa, suponho que seja a cachaça. Na verdade, como um bom burguês, gosta é de tudo que é bom, e, para tanto, faz qualquer negócio. Podemos inverter a expressão: "da fruta que gostamos, Lula come até o caroço!"

Disse, também, que tudo lhe fora emprestado; que não é dono de nada, e, ameaçando, que mexeram com a 'jararaca', mas que não a feriram na cabeça. No Brasil caboclo, especialmente no nordeste, jararaca, além de cobra, é sinônimo de coisa ruim, má, traidora, irada, fofoqueira, criadora de caso, venenosa.

Sócrates, o barbudo grego, para cumprir a lei, tomou veneno e morreu. Lula, o barbudo brasileiro, para não cumprir a lei, ameaça e se diz possuidor do veneno da cobra jararaca. Estamos diante de dois venenos inconciliáveis, portanto.

Conforme Luís da Câmara Cascudo, Dicionário do Folclore Brasileiro, p. 209, "A mulher e o cavalo eram os dois ciúmes reais do sertanejo: 'Mulher, cavalo e cachorro bom de caça, quem empresta nem para si presta' "

E eu, como um sertanejo conquistense moderno, atualizo a expressão: "Mulher, cavalo, cachorro bom de caça, sítio fantástico e triplex, quem empresta nem para si presta."


Juscelino V. Mendes
 

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Flash back


Flash back
As time goes by
mãos e sorrisos serenos
gestos e inquietudes mais
calor tropical
na contraluz
um beijo trancado no desejo
da fotografia de um dia
transformado em aula poética.

A fotografia é a luminosidade de um instante,
que se pretende infinito.



Juscelino V. Mendes 


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Abjeta Carta Aberta aos Baianos - Por catarinenses de Brusque


Eu tinha vontade de conhecer Brusques - SC. Não tenho mais. Sou baiano. Sou nordestino. Só por isto, podem querer me matar! Meu singelo protesto é jamais conhecer as terras que acolheram imigrantes europeus para virem rejeitar nossos migrantes. Continuam com a ideia estúpida de que somos "gente que não é gente". Continuam pensando que são europeus superiores e que o mundo, seja aonde for o lugar, lhes pertence. Os demais seres? São índios, que não merecem respeito. A intolerância chega ao ponto do que podemos ler nessa abjeta carta aberta, publicada com apoio da polícia local catarinense:


"Em novembro de 2013, moradores de Brusque, no Vale do Itajaí, publicaram uma carta intitulada 'Aviso aos Baianos'. De acordo com o texto eles estavam indignados porque os migrantes falavam alto, assim como ouviam músicas altas em casa e não respeitavam as regras de trânsito – por esses motivos deveriam ser mortos.

“(…) Moro em Águas Claras há 26 anos, tenho filhos que moram em outros bairros, e também estão sofrendo. Não vamos nos mudar por causa desses desordeiros. Fizemos um levantamento nos bairros: Águas Claras, Azambuja e Santa Terezinha, Nova Brasília, 1° de Maio, Bateias e Steffen. Constatamos que é absurdo, inaceitável o que acontece nos bairros, além do barulho, até trafegam na contramão, com carros e motos em alta velocidade e alguns com a descarga aberta (sem o silencioso). Durante esses oito meses fizemos levantamentos, já temos as placas dos carros, que são 34, e motos são 22, temos também as fotos desses desordeiros.

Fiquei feliz em comentar com 2 policiais sobre essa carta (antes de ser publicada) para saber a opinião deles e os dois disseram assim: “Finalmente acordaram, é bom mesmo que alguém faça alguma coisa para acabar com esses alienígenas” porque 90% dos casos envolvem baianos. “Não diga a ninguém nosso nome” – eu disse tudo bem.

BAIANOS, vocês conseguiram deixar o povo revoltado, TOMEM CUIDADO e tratem de mudar de comportamento URGENTE. VAMOS ELIMINAR VOCÊS, ISSO MESMO, VAMOS MATAR OS RUINS e acabar com essas pragas.

Nosso grupo composto por 28 cidadãos, onde 11 estão ansiosos para começar a matança, nem queríamos publicar esse aviso, porém a maioria decidiu avisar antes.

Nossa Brusque será de novo uma cidade boa para viver. CUSTE O QUE CUSTAR.”

(Fonte: http://racismoambiental.net.br/?p=199481#.Vqfk7rcrnSk.twitter / https://twitter.com/ggrauna).

Nosso país, através de leis rigorosas, precisa se impor mais com essa gente preconceituosa, pueril e criminosa, como esses que publicaram essa abjeta e absurda carta contra os migrantes pobres e trabalhadores de nosso Brasil.



Juscelino V. Mendes