onkeydown='return validateKey(event)'> onkeydown='return validateKey(event)'> expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Nas prisões mofem sem demora / os conhecidos de outrora

No maravilhoso poema "Divina commedia", o Poeta, Dante Alighieri, reserva para os políticos corruptos a 'quinta bolgia´ (Canto XXII, v. 16-24).

Trata-se de um poço de piche fervente em que os corruptos ficam submersos. Os que não conseguem suportar isto, e aparecem com as suas cabeças acima do piche, são empurrados por demônios que os devolvem para baixo. 

E por que Dante imaginou-os submersos em caldos no inferno?

-Porque na terra traíram o povo, fazendo negociatas às escondidas e enriquecendo-se ilicitamente às duras custas do povo italiano.



"(...)

Eu para o tanque olhava fixamente,
examinando-o fundo, procurando
ver quem gemia sob o pez fervente.

Como ágeis delfins, que o dorso arqueando
previnem os marujos do perigo,
para que tratem de ir a nau salvando,

assim, buscando alívio no castigo,
vinham à superfície os condenados,
mas imergiam como raio, eu digo.

E tais à orla dos poços sossegados
as rãs abicam, pondo a venta fora,
os corpos conservando mergulhados,

ali quedavam réus àquela hora;
mas vendo Barbarícia, que chegava,
ao fundo se sumiam sem demora.

(...)."


(Dante Alighieri "A Divina Comédia", Canto XXII, versos 16-30, tradução de Cristiano Martins, p. 286 - [Barbarícia, chefe dos demônios]. No original: Dante Tutte le opere, Divina Commedia. Grandi Tascabili Economici Newton, Roma, 1993, p. 158).











Há muitos políticos brasileiros, conhecidos

e desconhecidos,
que vão para esse lago terrível
da poesia de Dante.

Contudo, enquanto para lá não vão,
nas prisões mofem sem demora,
os conhecidos de outrora:
- Maluf, Lula, Dirceu, Azeredo,
Aécio, Palocci, Jucá, Serra, Renan, 
Michel - e outros que são mas não estão.


Juscelino V. Mendes


(Vide lista do ministro Edson Fachin, com 108 políticos investigados: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2017/04/os-108-nomes-da-lista-de-fachin.html).


2 comentários:

João Mantovanelli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Mantovanelli disse...

oão Mantovanelli20 de maio de 2018 21:52

MEU CARO MESTRE DE ACORDO COM SUAS SÁBIAS REFLEXÕES: "Eu vi, e o peito trago inda em trespasse,um que esperava assim, como acontece à rã que fica, ante outra que saltasse". Alighieri nos demonstra de certo modo a superpopululação carcerária de políticos corruptos quando necessitam de espaços e de tempo para tomarem fôlego e respiraram ao longo do tempo nas prisões, vide Sérgio Cabral!!